O ópio do povo

Quanto às igrejas fechadas por Stalin e aquelas fechadas na China de hoje: tal supressão da religião foi supostamente justificada pela afirmação de Karl Marx de que “a religião é o ópio do povo”. Marx disse isso em 1844, quando o ópio e derivados do ópio eram os únicos analgésicos eficazes que uma pessoa podia tomar. O próprio Marx os havia tomado. E ficara agradecido pelo alívio temporário que lhe deram. Estava simplesmente observando, e certamente não condenando, o fato de que a religião também podia ser confortadora para pessoas em dificuldades econômicas ou sociais. Era um truísmo casual, não um ditame.

Kurt Vonnegut, “Um Homem Sem Pátria”, 2006.

Gênio. Além de ter escrito Matadouro 5 e Hocus Pocus, ainda nos presenteia com esse belo livro que, apesar de conter apenas comentários um tanto randômicos, são melhores que quase tudo que se publica hoje no mundo.

Salve Kurt Vonnegut!

Anúncios

0 Responses to “O ópio do povo”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: